Maite Perroni é capa da edição de abril da revista “Hola”


maite01A equipe da revista mexicana “Hola” foi até Nova York para entrevistar e fazer uma sessão de fotos com Maite Perroni. Fotos as quais foram estampadas na edição de abril da publicação. A atriz e cantora contou sobre detalhes de sua mudança para os Estados Unidos.

Maite Perroni… and the city.

Viverá cinco meses em Nova York, envolvida com a gravação de seu disco, sua formação… e um reencontro consigo mesma. “Na vida, temos que aprender a fechar ciclos, a despedir das pessoas, mas também a receber gente nova e abrir teu coração”.

Primeiramente, eram três semanas; depois, três meses… Agora serão cinco (até o final de maio). A magina de Nova York conquistou Maite Perroni, e ela, uma mulher valente, se deixou levar pela cidade que nunca dorme. Fez as malas guiada por um sonho: seguir avançando em sua carreira e vida pessoal. Sua relação com Mane de la Parra levou um ponto final, mas ela sabe que não há vida sem experiências e que, mesmo que umas doam e outras gratifiquem, as autênticas sempre deixam marcas. Não foge de nada: só recupera o olhar curioso de uma criança para ficar cheia de vontade de seguir em frente.  Estuda, passeia, lê, grava um disco, reserva tempo para si mesma. E Nova York a acolhe com o seu céu iluminado. Previsão de bons tempos.

Hola: Você fez as malas… e já está vivendo em Nova York.

Maite: É uma cidade cheia de possibilidades. Quando você começa a viver aqui, sente uma energia impressionante.

Hola:  A cidade que nunca dorme…

Maite: O que provoca mudanças e vontade de seguir em frente. É uma cidade que te impulsa.

Hola: A “Big Apple” apaixona!

Maite: É um lugar perfeito para viver em algum momento da tua vida. Todo mundo deveria experimentar o que significa viver em Nova York.

Hola: Em todas as partes, verdade? É terrivelmente cosmopolita.

Maite: Sim, e por isso mesmo há tantas raças, religiões, culturas, que acaba sendo uma cidade solitária. Cada um vai pelo seu caminho e coincidem com as pessoas, mas cada um segue seu próprio trajeto. É muito interessante ver a dinâmica da cidade. Aqui tudo passa muito rápido. É incrível o que te faz sentir.

Hola: E o que sente Maite Perroni nesta conquista pessoal de Nova York?

Maite: Internamente, coisas muito positivas. Encontrei com muita gente linda e agradável, de muitas culturas e países. Cada dia é uma nova experiência e de você aprende com tudo. É uma cidade que te convida sempre a estar em movimento.

Nova Iorquina por cinco meses.

Hola: Porque, neste momento, você decidiu viver em Manhattan?

Maite: Um dia, mi A & R (Artists and Repertoire), Alejandro Abaroa, propôs que eu gravasse meu disco em Nova York. Quem produz é o chileno Koko Stamburck. No início, Alejandro me sugeriu que passasse três semanas em Nova York. Eu disse para ele que me dissesse o calendário das gravações, porque… iria viver ali por três meses! E agora serão cinco.

Hola: Ele se surpreendeu?

Maite: Disse que eu estava louca! – Maite nos conta rindo – E ao contrário! Eu queria aproveitar esse tempo para me preparar. Desde novembro do ano passado já havia decidido vir para Nova York. Por conta própria me dediquei a buscar apartamento, minhas aulas e a visualizar meus próximos meses de vida.

Hola: Que ótimo!

Maite: Foi algo que me encheu de expectativas! Agarrei minhas malas no início desse ano e vim. Estou fazendo coisas que me agradam bastante. Levanto todo dia com a expectativa de seguir me preparando.

Hola: Diga-nos, Maite, que este é um novo e fascinante capítulo da sua vida. 

Maite: É uma etapa onde estou aproveitando a mim mesma como pessoa, como uma mulher independente, caminhando pela vida com muitos sonhos e muita vontade. E onde estou reencontrando comigo mesma em outra lugar.

A solidão procurada.

Hola: Estás em um momento de solidão, mas uma solidão procurada. Que bom!

Maite: Exatamente. As pessoas que vivem aqui me dizem que quando chegas é incrível, mas que aos três ou quatro anos, você se cansa do individualismo que impera. Mas eu estarei só por uns meses, com muitas expectativas e cosas para fazer. Depois, voltarei à minha vida.

Hola: E como é a tua vida aqui?

Maite: Aproveito com um bom livro, um café, passeando, indo ao metrô, indo ao teatro! Sei que vir à Nova York foi uma decisão importante. Elegi estes momentos para mim e assim estou aproveitando.

Hola: Estás descobrindo o encanto do anonimato pelas ruas de Manhattan?

Maite: Sim! Aproveito poder sair para caminhar, ir ao supermercado, ir ao parque, tomar um café! Essas coisas tão simples, estou aproveitando demais. Mesmo no México, tento não mudar minha rotina, não paro. Mas aqui tenho tenho para mim.

Hola: Desculpa, mas não tenho mais como me segurar. Como está teu coração depois do término com Mané de la Parra?

Maite: Estou bem. Estou em um momento pessoal de muito crescimento. Muito feliz. Nesta vida, tudo acontece por algum motivo, tudo tem uma razão para acontecer, toda causa tem um efeito…

Hola: Que efeito tem tido para você esse processo de mudar de página?

Maite: Tem sido um processo muito enriquecedor comigo mesma. Me obrigou a reimplantar muitas coisas como mulher independente e autossuficiente. A vida permitiu me realizar no que me agrada e quero me esforçar cada segundo e melhorar. Neste momento da vida, se aproxima meu aniversário…

Hola: E quantos anos cumpres, Maite?

Maite: Ai, isso não se fala! – risos – Bom, está bem, 30 anos.

Hola: Mas você tem o melhor da vida: és muito jovem.

Maite: Nem tanto! Agora já não são tão poucos. Mas vou os receber com um sorriso e brindar por eles, porque me sinto muito feliz! Se faço um balanço de minha vida, me sinto uma mulher privilegiada profissionalmente e pessoalmente. Se faço uma analise, penso que vivi coisas maravilhosas que me encheram de satisfação. E se analiso por mais dois minutos, dou conta de que me falta muito mais para viver, que quero seguir aprendendo, viajando, conhecendo, redescobrindo-me.

As decisões tomadas foram as corretas.

Hola: Te vemos feliz.

Maite: Porque estou muito feliz! Acredito que a vida é o melhor que temos e tudo é uma consequência de uma decisão tomada. E neste momento, acredito que as decisões tomadas em minha vida foram as corretas. Este novo caminho que estou trilhando tem sido o que era para ser, porque estou muito feliz comigo mesma.

Hola: As vezes, para ter, você tem que se desprender.

Maite: Na vida, temos que aprender a fechar ciclos, a despedir das pessoas, mas também a receber gente nova e abrir teu coração. Todos e cada um dos eventos vividos formam parte da tua história e te fazem ser quem és.

Hola: Da sua relação com Mane, você tira um balance positivo.

Maite: Claro que sim! Eu acredito que nesta vida nos dedicamos a descobrir quem somos. E ao mesmo tempo, cada relação, cada história, cada projeto e pessoa que chega em sua vida tem um porquê. Quando inicias uma relação, começa com muita expectativa, e muita vontade de descobrir sobre o outro invés de ir te conhecendo, em conjunto. Com o tempo, é tomada a decisão de seguir ou não juntos, com respeito com o que foi divido e com os planos pessoais.

Hola: Que em ocasiões não coincidem. 

Maite: Tem que saber ler sua alma e seu coração, como tem que saber compartilhar com muito amor. Em um casal é fundamental a interação com verdade, com lealdade e com muita vontade. O dia que as coisas deixarem de ser assim, é melhor despedir-se a tempo e seguir cada um em seu caminho. Neste aspecto sou muito clara, e acredito que tomei a decisão correta.

“Me levanto pronta para cumprir meus sonhos”.

Hola: Maite, não vamos dizer que estás começando do zero, mas tem que ter valentia para fechar sua agenda por uns meses e te dar este tempo. És uma mulher valente?

Maite: Sim, considero que sou. Conforme os anos foram passando, acredito que me tornei uma mulher valente e empreendedora. Me levanto pronta para cumprir meus sonhos. Pode ser que eu alcance a minha meta, pode ser que não, mas todo o processo é muito interessante. Na vida, é muito importante decidir dar passos, tanto no pessoal quanto no profissional.

Hola: Você fala com segurança.

Maite: Sou uma mulher clara, e quando todo uma decisão, vou com tudo.

Hola: Mudemos de assunto. Que linda você estava no tapete vermelho dos Premios Lo Nuestro!

Maite: Ai, mas houve algo inesperado. Saí do carro com o vestido perfeito, mas no tapete vermelho alguém me cumprimentou e, sem querer, pisou no meu vestido. Não me dei conta e quando cheguei na área das fotos… no vestido tinha um rasgado grande!

Hola: Bom, igual a Angelina Jolie, e você tão bonita. Maite, o que significa a moda para você?

Maite: Adoro ver, conhecer e vivê-la. Mas também vou descobrindo o meu corpo e vou sabendo o que me favorece ou não. É uma aprendizagem constante! Procuro manter-me simples, básica, principalmente em minha vida cotidiana, onde sou feliz com uma jaqueta de couro, botas e cachecol. Mas cada momento requer um vestuário diferente, claro!

Hola: Maite, mesmo que tenha pouco tempo para sentir saudades, quando estás fora do México, o que mais sente falta da tua terra?

Maite: A qualidade das pessoas. As pessoas no México são amorosas, amáveis, alegres. Nos outros lugares, sentes muito mais a frieza e o egoísmo, mas no México as pessoas conversam contigo, te tratam bem… Sinto falta disso… e da comida!

Confira os scans abaixo:

Créditos: Maite MVP (scans – tradução)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s